Foodtechs: empresas se destacam no setor de alimentação

Foodtechs: empresas se destacam no setor de alimentação

Descubra como as foodtechs têm ajudado empreendedores do food service a enfrentar os desafios, principalmente neste momento de tantas incertezas!

O mercado de food service está em constante atualização. Atento às demandas do público, além das inovações tecnológicas e das tendências, o setor tem ganhado novos formatos de empresas, bem diferentes dos negócios mais convencionais.

Foodtechs

São as chamadas foodtechs, um modelo de startup que já conquistou uma parcela significativa de empreendedores e de consumidores mundialmente. produção à entregas. 

Elas estão entre as novas estrelas ascendentes no mercado global de tecnologia. Prova disso é uma previsão feita pela Research and Markets de um mercado global de US$ 250,4 bilhões até 2022.

De acordo com estudo da Liga Insights, o Brasil conta com 332 startups voltadas ao segmento de alimentos, com soluções que agilizam processos de gestão e produção, além de entregas.

Para fundador da Menu, Leonardo Almeida, as foodtechs nasceram para resolver dores desse mercado tão promissor. De acordo com dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), até 2050, o planeta terá cerca de 9,6 bilhões de habitantes. Isso significa que precisará, portanto, de quase 30 bilhões de refeições por dia. Só por isso, já é possível ter uma ideia do mercado que estamos falando.

Soluções em tempos de pandemia

Em um cenário de incertezas com a pandemia do coronavírus, pequenos, médios e grandes comerciantes de alimentação recorreram a aplicativos e outras tecnologias como plataformas e serviços de delivery, por exemplo.

Até mesmo os restaurantes, que não utilizavam algum tipo de tecnologia que o ajudasse no dia a dia, se viram obrigados a aderir a um app de entregas na crise. Após esse período, as pessoas voltarão a consumir em bares, pizzarias e restaurantes, assim como os empresários e donos de pequenos comércios continuarão utilizando esses serviços em razão da boa experiência, afirma. 

Mais de 50% da balança comercial brasileira vem do segmento de alimentos, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (ABIA). Alimentos do futuro, por exemplo, estão surgindo a partir da necessidade de prover comida a todo mundo utilizando menos recursos naturais.

Além disso, é possível destacar os meios de gestão de insumos de alimentos. Pensando nisso, o aplicativo da Menu ajuda na hora das compras com a gestão e controle de estoque dos estabelecimentos, evitando, assim, o desperdício e diminuindo os gastos de bares, pizzarias e restaurantes na hora de escolher a matéria-prima. 

Oferecemos aos comerciantes uma forma prática e rápida para realizarem suas compras por meio do celular ou do computador aliada à gestão de estoque. Os produtos acabados representam a essência do negócio e má gestão de estoque pode comprometer, inclusive, a sobrevivência do empreendimento, conclui. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *